Ácido Úrico – Para a tristeza de alguns, Balneário Camboriú vai muito bem, obrigado.

Publicado por em 10/05/2021

Apesar das incansáveis tentativas da mídia, de políticos e de uma pequena fatia da própria população, em tentar sujar a imagem da nossa cidade, Balneário Camboriú continua se destacando.

Para desespero de uns e falta de pauta para outros, o município continua crescendo, evoluindo, lutando contra a pandemia e, apesar das perdas, driblando esse vírus da melhor maneira possível.

Bem, obrigado

Balneário Camboriú foi por muitos anos o “sonho americano” de pessoas de diversos lugares do Brasil. Foi essa procura por oportunidades que trouxe essa mistura de sotaques, de origens e de sonhos que existem na nossa cidade. As pessoas aprenderam que para viver bem aqui é preciso trabalhar muito, que servir é nossa principal fonte de trabalho e receber bem quem vem passear, é a nossa obrigação.

Balneário Camboriú sobreviveu, plena e forte, por desastres econômicos, por administrações catastróficas e tem sobrevivido ao maldito coronavírus. Somos destaque saúde, saneamento, segurança, cuidado com as pessoas e em várias áreas. Mesmo assim, somos alvo de falas que insistem em colocar a cidade na vala, tanto pela mídia, pelos políticos e por uma pequena fatia da população que não está contente com nada.

Politicagem

No intuito de fazer oposição ao governo X ou Y, políticos disseminam falas com problemas que toda cidade tem, mas o teatro que fazem em cima da situação, torna a coisa como um grande problema. Balneário Camboriú tem um hospital municipal, bancado quase em sua totalidade pelo próprio município. O político X ou o cidadão Y, criticam o atendimento demorado no hospital, mas se acovardam ao fingir que não lembram que mais de 40% dos atendimento são de fora, sem cobrar as cidades vizinhas. Criticam a construção civil, mas esquecem que essa mesma indústria gera mais de 5000 mil empregos, fortalecendo a economia e os cofres públicos. A padaria, a loja de roupa e calçado, a loja de móveis e até o dogão da esquina, estão diretamente ligados a esse giro que a economia tem na cidade. Mesmo com esses ataques, Balneário Camboriú continua plena.

Resiliência é a nossa palavra de ordem. Os que aqui vivem e reclamam, ou não fazem ideia como está nas cidades vizinhas ou realmente reclama de tudo e não está contente com nada. Pessoas que vivem da arte de reclamar. Tem problemas? Vários! Mas fáceis de resolver.

Vacinas

Estamos fechando a vacinação da população de 60 anos, avançando nas pessoas com comorbidades. Não estamos “parados” e muito menos “patinando” nos 60, pois qualquer acéfalo que lê o Plano Nacional de Imunização, vê que não existe plano de vacinar pessoas com menos de 60 anos. Abaixo de 60, só com comorbidades. Logo, estamos bem e avançando conforme as doses chegam.

Foram mais de 41 mil doses aplicadas até agora, mais de 18 mil pessoas totalmente imunizadas. A cidade começa a respirar esperando que a situação comece a melhorar, e a normalidade comece a voltar, em junho.

Cidades da nossa região não tem a mesma dinâmica. Aliás, tem cidade que nem informação no site a gente consegue e o Facebook só serve para fazer promoção da administração.

O alargamento para todos

Lembrei hoje de uma página no Facebook que tentava mobilizar, até com postagens patrocinadas, pessoas contra o alargamento da praia central. A página existe desde julho de 2018 e conseguiu angariar pouco mais de 2300 seguidores. Com ataques, críticas e alguns textos sem noção, a página chegou a dizer que o alargamento da praia era só para quem morava na Av. Atlântica. Nunca vi barreira impedindo moradores dos bairros de frequentar.

A página, que tem em seu nome uma pergunta, hoje vê a resposta. O alargamento é para todos. É para os imóveis que valorizam, é para os ambulantes que vendem seus produtos, é para o funcionário do quiosque, para a vendedora da loja de artigos de praia, é para o corretor de imóveis, para a arquiteta, para a engenheira, para o funcionário da empresa que faz a limpeza, para o pedreiro, para o marceneiro, para o praticante de esporte, para o aposentado que caminha todos os dias pela manhã e para todos que, de uma maneira ou de outra, estão dentro do ciclo da economia que o turismo e a construção civil fazem girar.

Teve até alguém, que tem imóvel em Balneário Camboriú e sabia que valorizaria, mas pregou contra o alargamento alegando “subfaturamento”. Tentou viabilizar até visita de “entendedores” com o MPSC para descredibilizar a obra, mas não conseguiu. Neste caso, por pura politicagem, assim como outros.

A arma dos negacionistas

Lembrando dessa página, fui verificar o número de seguidores para colocar aqui na coluna. Constatei que fui bloqueado nela e não posso me manifestar em qualquer assunto. Assim como fui bloqueado no perfil de um ex candidato que está ligado a essa página. Candidato este que publicou no Facebook uma “notificação extrajudicial” para mim, mas me bloqueou para que eu não pudesse me manifestar sobre a acusação.

Negacionistas são aqueles que não aceitam outras verdades que não sejam as suas. Essa “censura moderna” é a principal arma dos negacionistas. Eles usam uma teoria do tipo: Falo, bloqueio e não preciso ouvir o contraponto, a pluralidade de ideias e não tenho interesse que a democracia seja exercida, por assuntos que me nego a aceitar o contrário. E pior que isso não parte só dessa mente brilhante, parte também da própria imprensa que finge lutar por democracia e liberdade de expressão, quando convém.


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Faixa Atual

Título

Artista