Árvores históricas correm risco de remoção em Balneário Camboriú

Publicado por em 21/09/2020

No Dia da Árvore (21 de setembro) checamos a situação de duas árvores famosas em Balneário Camboriú, mas que possuem futuro incerto, a espatódea localizada na Avenida Martin Luther e a figueira gigante da Rua Otto Stein, no bairro da Barra.

Árvore da Rua Otto Stein chegou a ser sinalizada para remoção em 2019/Foto: Divulgação

A secretária do Meio Ambiente, Maria Heloísa Furtado Lenzi, revela que as duas plantas enfrentam problemas, enquanto a espatódea é um risco para outros animais, a figueira já teve galhos caindo em cima de veículos se tornando um perigo para os moradores da região.

“No caso da Otto Stein, a árvore já tem indicativo de corte, porque ela pode cair em algum evento mais forte de chuvas e ventos, podendo causar problemas, por outro lado existe também o apego da comunidade a aquela árvore, então por enquanto é feita a gestão com o corte dos galhos mais perigosos assim como na árvore da Martin Luther, que além disso tem o indicativo de prejudicar alguns animais pelas suas flores que são tóxicas para abelhas por exemplo”, explicou.

Manutenção de árvore na Martin Luther gerou estreitamento da pista

A secretária ainda destaca que para cada árvore nativa removida em Balneário Camboriú é solicitado o plantio ou doação de mudas para reposição. De toda forma ainda não existe um prazo, ou sequer uma certeza de que as duas árvores serão retiradas, tudo vai depender do monitoramento e avaliação da do Departamento de Paisagismo, ligado à Secretaria de Obras.

Cidade arborizada

Balneário Camboriú é a cidade mais arborizada entre os municípios que compõe a Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí-Açu (Amfri). Segundo dados do Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) o índice de arborização é de 78%.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Faixa Atual

Título

Artista