Nando Reis homenageia Roberto Carlos

Publicado por em 04/07/2019

Fã declarado do Rei Roberto Carlos, Nando Reis foi além no quesito homenagem ao ídolo.

O novo disco do cantor, compositor e músico Nando Reis reúne 12 faixas que são releituras de canções do Rei. O disco intitulado ‘Não Sou Nenhum Roberto, mas às Vezes Eu Chego Perto’, está disponível nas plataformas digitais desde o último dia 19 de abril, data em que Roberto completou 78 anos. O trabalho tem produção de Pupillo (ex-baterista da Nação Zumbi) e direção artística de Marcus Preto.

Não é de hoje que Nando tem navegado na atmosfera do Rei Roberto Carlos. Em 1996 compôs ‘Nenhum Roberto’, sucesso na voz de Cássia Eller e no ano seguinte dividiu o palco com o ídolo participando com os Titãs do especial do Roberto de Natal. Cantaram ‘Pra dizer adeus’ (Nando Reis/Tony Bellotto) e ‘É Preciso Saber Viver’ (Roberto e Erasmo).

Ouvinte assíduo de todos os trabalhos do Rei, Nando Reis foi ter a ideia desse projeto justamente quando se deleitava sobre a obra de RC.

Nas férias que tirou em 2016, com a esposa Vânia, levou para o sítio da família uma caixa com 10 ou 12 discos de Roberto Carlos. “Sempre tive uma relação forte com a música do Roberto, quis dar uma roupagem pessoal, mostrar a importância dele dentro da minha história”, relata.

Ideia amadurecida, Nando Reis então tratou de fazer a lista de canções para Roberto Carlos decidir quais poderiam ser liberadas para esse trabalho. Roberto viu a lista e bloqueou duas músicas: ‘Detalhes’ e ‘De Tanto Amor’, ambas de 1971.

Diante da negativa, Nando Reis decidiu insistir para que Roberto liberasse ‘De tanto amor’, já que essa música tem significado especial no seu casamento com Vânia, com quem está há 30 anos. Roberto voltou atrás com essa, que foi gravada e entrou como segunda faixa do álbum.

A Canção ‘Alô’ (Roberto Carlos/ Erasmo Carlos) de 1994 abre o disco. ‘Me Conte a Sua História’ de 1979 (Mauricio Duboc/ Carlos Colla) foi uma das últimas finalizadas no estúdio e é uma das preferidas de Nando. Isso exigiu muito estudo para que os arranjos ficassem condizentes com a poesia e significado na música. Durante a gravação, Nando Reis encaixou na música versos de um poema de sua autoria.

‘Amada Amante’ é um clássico romântico e foi uma das faixas em que Nando fez questão de manter um arranjo semelhante ao original de 1971. “Não acho que haja uma necessidade de desfigurar versões originais sempre que se regrava uma música. Muitas vezes, a beleza da música está nela própria, na sua essência tal como está, por isso decidi manter o arranjo da canção original”. Esta música foi lançada com vídeo clipe que você assiste abaixo:

Ainda compõe o disco, as faixas ‘Abandono’ de 1978 escrita por Márcio Greyck e Cobel, ‘Vivendo Por Viver’ (1978), ‘Nosso Amor’, escrito por Roberto e Erasmo em 1976, ‘Procura-se’ (1980), parceria entre Roberto e Ronaldo Bôscoli, ‘Guerra dos meninos’ (Roberto Carlos/ Erasmo Carlos), que ganha roupagem especial com a dramaticidade e o tom épico do multiartista Jorge Mautner.

Não muito religioso, como ele mesmo se declara, Nando optou por abordagens religiosas também. ‘Todos Estão Surdos’ (Roberto Carlos/ Erasmo Carlos) e Nossa Senhora também estão presentes nesse trabalho.

“Para mim, o desafio era mais amplo ainda. Eu tenho uma maneira diferente de pensar, não sou um homem exatamente religioso. Mas também, ao meu ver, a grande divindade da música está na forma como ela foi concebida”. Em ‘Nossa Senhora’, Nando se inspirou em João Gilberto para recriar a canção em arranjo instrumental.

A turnê ‘Esse amor sem preconceito’ se inicia no dia 12 de junho no RJ.

Neste link você confere o disco na íntegra: onerpm.lnk.to/NandoReis

Fonte: Jornal do Brasil.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



Faixa Atual

Título

Artista